Postagem em destaque

Novo site no Ar!

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

O aparecimento do Anticristo segundo o Sermão Profético de Mateus 24

Paz a todos! A volta de Jesus é um dos assuntos mais comentados no mundo cristão e também o evento mais esperado desde os primórdios da Igreja. O estudo abaixo é sobre os fatos narrados por Jesus em Mateus 24 e como isso se relaciona com a chegada do Anticristo. Através de uma breve história de Israel, veremos como Deus agiu e está agindo no cenário global para a manifestação do seu Filho. Que o Senhor te ilumine para compreender o seu plano e lhe edifique através do estudo.




Este estudo foi desenvolvido com o auxílio e estudo de diversas fontes, tais como sites e livros.

Que estamos vivendo os últimos dias, isso muita gente sabe. Mas será que estão tão ligados na Volta do Senhor? Será que compreendem os sinais e as chaves para tão Glorioso evento? Precisamos urgentemente entender em que tempo do relógio profético de Deus estamos, e isso, a partir de sua Palavra. Vamos analisar os sinais a partir do mais clássico texto de escatologia cristã: O Sermão Profético descrito em Mateus 24.

E, quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.
Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada.
E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?
E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane;
Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.
E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.
Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.
Mas todas estas coisas são o princípio de dores.
Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.
Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.
E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.
E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.
Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.
E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.
Mateus 24:1-14

Em Mateus 24, nos é mostrado que Jesus estava saindo do Templo com seus discípulos, os discípulos impressionados com os adornos e pedras do Templo chamaram a atenção de Jesus. Jesus, porém, disse-lhes o que sobreviria a tão grande maravilha da arquitetura: sua destruição. Os discípulos perplexos começaram a se indagar, pois eles associaram a destruição do Templo com a ruína de Israel, e a ruína de Israel ao fim do mundo (Realmente, o Templo e Israel foram destruídos em 70 d.C. por Tito, comandante romano). Quando chegaram ao Monte das Oliveiras os discípulos então, tendo recebido tão terrível profecia, pediram a Jesus um sinal, um único sinal que anunciaria a Sua volta e o fim do mundo. Jesus, como de costume os explanou vários sinais e alertas para a sua vinda, entretanto vamos conferir em que contexto Jesus expôs esses sinais. Vamos analisar o verso 8, onde está o cerne do contexto:

Mas todas estas coisas são o princípio de dores. Mt 24:8

Dores? Que tipo de dores são essas? Ao que Jesus se referia? Vamos analisar a Nova Tradução da Linguagem de Hoje para compreender em uma linguagem atual que tipo de dores são essas:
Essas coisas serão como as primeiras dores de parto. Mt 24:8 - NTLH

Veremos agora o que diz um dicionário Grego do Novo Testamento:

A palavra, "dores" no texto grego original refere-se na verdade às dores do parto [Concordância de Strong, item 'G5604'].
Realmente, Jesus compara os sinais com dores de parto, ao processo de nascimento de algo. Algo que nascerá na cena mundial. Mas o que estará nascendo? Ou quem!? Temos essa resposta no verso 15, em que Jesus subitamente menciona a profecia de Daniel 9:27, 11:31 e 12:11. Essa profecia diz que o Anticristo na metade da Grande Tribulação invadirá Israel e profanará o Templo, para representar uma profunda ofensa a Deus, a Bíblia a chama de “Abominação Desoladora”.
Então “o bebê” que estará nascendo aqui é o Anticristo, mas varemos que há outro bebê nascendo nesses versos. Jesus e Daniel predisseram que o Anticristo invadirá Israel e destruirá o Templo. Espere, Israel? Templo!?. Compreendemos que para o acontecer tal profecia é necessário que haja Israel e, indispensavelmente, um Templo!
Então, nos versos narrados por Cristo identificamos dois bebês: Israel e o Anticristo. Jesus profetiza a reconstrução de Israel e a reedificação do Templo, depois de ambos serem destruídos em 70 d.C.
Jesus, deu sinais aos seus seguidores para eles perceberem em que tempo Ele irá voltar, comparando-os a dores de parto:

Engano espiritual jamais visto (v.4): 24.4   Jesus respondeu: — Tomem cuidado para que ninguém engane vocês – NTLH. Esse engano espiritual é um nunca visto na Terra, tamanho é o engano que Jesus nos advertiu, mas duas vezes no mesmo capítulo nos versículos 11 e 24.

Aparição de falsas figuras messiânicas (v.5): 24.5   porque muitos vão aparecer fingindo ser eu e dizendo: “Eu sou o Messias! ” E enganarão muitas pessoas – NTLH. Os últimos séculos foram os que mais aparecerem figuras se dizendo ser o Cristo ou que tem alguma parte com Ele.

Guerras e rumores de guerras (v.6): 24.6. Não tenham medo quando ouvirem o barulho de batalhas ou notícias de guerras. Tudo isso vai acontecer, mas ainda não será o fim – NTLH. Esse versículo define um conflito em que um país ataca o outro e cada um dos blocos se une a seus aliados fazendo o conflito se expandir.

Fomes e terremotos em vários lugares (v.7): 24.7 Uma nação vai guerrear contra outra, e um país atacará outro. Em vários lugares haverá falta de alimentos e tremores de terra – NTLH. Os terremotos se tornam mais violentos e mais intensos, acontecendo simultaneamente em várias partes do mundo. Alguns serviços geológicos nos dizem que isso é normal, que acontece desde o princípio, querendo nos fazer desacreditar nas palavras de Cristo. Mas devemos toma-los como sinais! Junto com esses terremotos devastadores, vem imensas fomes, tudo conforme o que estamos vivendo hoje. Coincidência?!

Agora, depois de vermos os sinais que o próprio Jesus falou, vamos ver como o bebê Israel nasceu conforme todos os padrões da profecia.

Análise Histórica do Nascimento de Israel em 1948

Quando analisamos o nascimento de Israel, desde o primeiro Congresso Sionista em 1897 até seu nascimento em 1948, é inegável a mão de Deus agindo a favor de Israel, veremos agora a revisão histórica da nação judaica.

Deus prometeu a Israel uma nação, se eles obedecessem a seus ensinamentos, do contrário eles seriam expulsos de suas próprias terras. O rebelde Israel se desviou dos caminhos do Senhor e então o rei Nabucodonosor da Babilônia, invade Israel em 602 a.C. Depois dessa invasão Israel nunca mais foi dona de suas próprias terras e não poderiam governar a si mesmos como um estado independente. A Babilônia oprimia os judeus até que foi conquistada pelo império Medo-persa em 539 a. C por Ciro, que através dos planos de Deus permitiu os judeus de voltarem para suas terras em Jerusalém. Como profetizado em Daniel, o bode (Grécia) dominou o carneiro (Média-pérsia) e então, mais uma vez os judeus, passando de reino a reino, continuam sem terra e sem estado, depois o Império Romano avassalou o império grego. Embora os gregos e os romanos deram um pouco de liberdade aos judeus, eles não tinham nenhuma autonomia. Os judeus revoltados com Roma, provocaram levantes, para manter a pax romana, ideia que Roma usava para exprimir a sua tolerância com todos os povos, Roma aturou os judeus até que no ano 66 a paciência romana se esgotou e como resposta, foi enviada uma tropa militar para cercar Jerusalém, o cerco durou três anos, até que no ano 70, Tito, de Roma, destruiu Jerusalém e o Templo, conforme profetizado por Jesus. Os judeus foram expulsos de Israel por Roma para as nações vizinhas, exatamente como Deus disse que faria a eles se continuassem a pecar.

Desde então, por quase 1.900 anos os judeus foram expulsos de quase 80 nações diferentes, sendo jogados de um lado para o outro, o povo judeu foi sofrendo e sendo rejeitado. Mas sempre com a esperança nas promessas de Deus que um dia Israel seria restabelecida como nação, também vários estudiosos bíblicos esperavam essa promessa, pois associavam a restauração de Israel como sinal e relógio para o começo do fim. Depois de tanto humilhação, guerra e rejeição em 14 de maio de 1948, como em um milagre, em um único dia Israel foi reparado como nação! 

Deus promete restaurar Israel

Realmente, as promessas de Deus não se acabaram para Israel, como dizem alguns erroneamente com a Teologia da Substituição ou Teologia do Pacto ou Supersessionismo. Estudemos o que diz a Bíblia em relação a isso:
Mesmo Deus dizendo que expulsaria Israel de sua terra, sempre vinha a promessa de restauração nacional. Em Romanos 11, Paulo explana essa ideia de maneira cabal, mostrando que Deus jamais esqueceu ou esquecerá Israel.

"Porventura rejeitou Deus o seu povo? De modo nenhum... Deus não rejeitou o seu povo, que antes conheceu." Paulo é bem claro ao dizer que, embora Israel tivesse pecado grave e repetidamente, Deus não o tinha rejeitado como seu povo escolhido. Quando olhamos para a aliança de Deus com Abraão, vemos por que ele não pode rejeitar Israel e continuar fiel à sua natureza eterna e imutável. Em Gênesis 17:7-8, Deus explica sua aliança com Abrão, agora renomeado como Abraão. Deus prometeu, "Estabelecei a minha aliança entre mim e a tua descendência depois de ti em suas gerações, por aliança perpétua, para te ser a ti por Deus, e à tua descendência depois de ti. E te darei a ti e à tua descendência depois de ti, a terra de tuas peregrinações, toda a terra de Canaã em perpétua possessão, e ser-lhe-ei o seu Deus."

Veja como Deus diz que ele estabeleceu uma aliança com os descendentes de Abraão, que com certeza são os descendentes físicos: os judeus! Deus estabeleceu com os judeus uma aliança perpétua, que significa literalmente “para sempre”, “eterna”, uma aliança que não dependeria do povo, mas somente dEle, embora os judeus pecassem e se rebelassem contra Ele, Deus nunca esqueceria da sua eterna aliança, assim Deus não poderia se desfazer dessa aliança sem manchar a sua natureza imutável, fiel e verdadeira. Essa aliança é diferente da feita com Moisés: a Lei, destinada desde o princípio para ser anulada e trocada pela Hé Koiné Diatheké, a aliança eterna feita por Cristo na cruz, que jamais será abolida. Lembrando que há dois tipos de aliança de Deus com Israel: a nacional e a espiritual, esta baseada na Lei de Moisés; a Lei foi cumprida e abolida por Cristo, mas Jesus nunca interferiu na aliança nacional, por quê se a afetasse Deus teria mentido a Abrão e provaria que Ele não é capaz de restaurar Israel! Mas Deus retornará a Israel no Fim dos Tempos, mostrando com Seu braço forte, poder e lealdade.

O Eterno Deus prometeu que jamais esqueceria Israel e faria tudo isso para honrar a Seu nome e para mostrar a sua fidelidade.

Em Ezequiel 20:40-44, Deus enfoca especificamente o retorno de Israel a ele após terminar a punição. No verso 44, Deus diz uma coisa muito interessante: Diz que restaurará Israel "por amor do meu nome". Também diz isso em Ezequiel 36:21-23. Deus diz claramente por que está planejando restaurar Israel em sua terra: "Mas eu os poupei por amor do meu santo nome, que a casa de Israel profanou entre os gentios para onde foi. Dize, portanto, à casa de Israel: Assim diz o Senhor DEUS: Não é por respeito a vós que eu faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que profanastes entre as nações para onde fostes. E eu santificarei o meu grande nome, que foi profanado entre os gentios, o qual profanastes no meio deles; e os gentios saberão que eu sou o SENHOR, diz o Senhor DEUS, quando eu for santificado aos seus olhos."

A Bíblia promete que os judeus voltarão para a sua terra: Deuteronômio 30:3, Isaías 43:6, Ezequiel 34:11-13; 36:24; 37:1-14

E a partir desse retorno é que Deus prometeu agir no Dia da Angústia de Jacó, quando as nações do mundo se levantarem contra Israel, mas Ele não permitiria que o Seu povo fosse destruído, apenas os provaria na fornalha para receberem o Messias, Amós 9:15, diz: "E plantá-los-ei na sua terra, e não serão mais arrancados da sua terra, que lhes dei, diz o SENHOR teu Deus." A terra de Israel voltaria ao controle judaico depois de serem pisadas por gentios por muito tempo terras essas que inclui todo o Líbano, a maior parte da Síria, dois-terços da Jordânia e o deserto de Negueve, até o Canal de Suez, e é provável que parte de Arábia saudita esteja inclusa na terra que Deus prometeu a Abraão.

Terras originais que Deus prometeu a Abraão
Agora veremos como as implicações de Mateus 24 sem aplicam impressionantemente ao nascimento de Israel desde os tempos de 1897.

No primeiro Congresso Sionista, em 1897, em Basiléia, na Suiça, feito a fim de trazer um grande número de judeus de volta a Israel, para formar novamente a nação judaica, as condições não eram nada agradáveis por conta de o território estar nas mãos do Império Otomano e além do mais que as simpatias dos turco-otomanos ao povo judeu não era uma das mais favoráveis. Mas os líderes do Congresso Sionista foram impulsionados a ir contra toda possibilidade e progredirem. Mais tarde a conferência conseguiu, com o apoio de judeus influentes e ricos, o patrocínio de viagens que levaram judeus a Terra Prometida, eles foram chegando a muitos: centenas, milhares e depois às dezenas de milhares.

Engano Espiritual Jamais Visto -  24:4

Nos tempos de viagens de judeus à Terra Prometida o que impelia a vontade de reconstruir Israel não foi um espírito Judaico e muito menos Cristão, foi Iluminista! A família Rothschild, famosos e importantes banqueiros, tomaram a frente dessa luta de restaurar uma nação, abastando financeiramente vários colonos judeus e patrocinando as viagens de migração. Além disso, os judeus compraram pedaço a pedaço da Palestina dos árabes através desse dinheiro, que fingindo estar ajudando a firmar Israel, estava apenas preocupada com seus interesses, sim, os judeus foram enganados.

Aparição de falsas figuras messiânicas - 24:5

Nos anos em que Israel ia sendo restaurada como nação, nos séculos XIX e XX foram registrados 22 casos de pessoas que se diziam ser Jesus, e esses são apenas casos famosos, sem contar os de pequena repercussão, nunca houve tanta mentira.

Guerras e rumores de guerra – 24:6

Aqui se torna mais visível a mão de Deus guiando e ajudando o seu povo, a fim de concretizar o seu Eterno Plano. O nascimento da nação judaica foi marcado por enorme e terríveis guerras, bem como o Senhor profetizou, reino contra reino e nação contra nação se levantaram fazendo do mundo um pandemônio. A primeira e segunda guerra mundial foram de grande importância na história de Israel, principalmente a segunda guerra que acabou fazendo o mundo se voltar para Israel por causa dos horrores do Holocausto. 

Vamos a elas:

A Primeira Grande Guerra (1914-1918)

A primeira guerra impulsionada pelo imperialismo, nacionalismo e revanchismo, acabou que envolvendo as potências da Tríplice Entente (Alemanha, Império Austro-Húngaro e Império Turco-Otomano) contra os da Tríplice Aliança (França, Grã-Bretanha e Rússia), o mundo foi mergulhado em horror. A guerra acabou em 11/11/1918 às 11:00 da manhã, será um sinal Iluminista, profetizado por Albert Pike em sua visão demoníaca de 1870? Com o fim da guerra e a vitória dos Aliados, o mapa da Europa foi totalmente refeito e o mundo também, inclusivo o Oriente Médio, grande parte da Europa ficou destruída, três grandes Impérios foram desfeitos: o Império Austro-Húngaro, O Império Russo dos Czares foi substituído pelo Comunismo em 1917, e por fim o Império Otomano em 1922. Nesse período a ocasião de terremotos se intensificara.

A primeira guerra mundial cortou a cabeça da Besta que oprimia Israel por quase 5.000 anos, agora as terras palestinas passaram a ser controladas pelo Império Britânico, foi quebrado o que bloqueava os judeus de retornarem a sua terra, mas eles ainda precisavam do apoio das nações para se estabelecer como Estado. A Grã-Bretanha se sentia na obrigação de agraciar o brilhante químico, cientista e estadista sionista Chaim Azriel Weizmann, que desenvolveu um processo de sintetizar a acetona, um ingrediente necessário na produção dos explosivos que estava com seu estoque extremamente baixo, inclusive esse judeu foi o primeiro presidente de Israel. Ademais a Grã-Bretanha tinha o desejo de criar um estado judeu na Palestina, pois assim, conteria o Império Otomano, seu rival na guerra, outro fator era que se a causa judia fosse envolvida na guerra os EUA entrariam como aliados do Império.

Então, o gabinete britânico promulgou a Declaração de Balfour. Arthur James Balfour, o ministro das Relações Exteriores do governo britânico, enviou o comunicado ao Barão Rothschild o líder da Comunidade Judaica do Reino Unido, em 2 de novembro de 1917. 

Temos abaixo a carta:

"Caro Lord Rothschild,
"Tenho o grande prazer de endereçar a V. Sa. em nome do governo da Sua Majestade, a seguinte declaração de simpatia quanto às aspirações sionistas, declaração submetida ao gabinete e por ele aprovada:
`O governo de Sua Majestade encara favoravelmente o estabelecimento, na Palestina, de um Lar Nacional para o Povo Judeu, e empregará todos os seus esforços no sentido de facilitar a realização desse objetivo, entendendo-se claramente que nada será feito que possa atentar contra os direitos civis e religiosos das coletividades não-judaicas existentes na Palestina, nem contra os direitos e o estatuto político de que gozam os judeus em qualquer outro país.´
"Desde já, declaro-me extremamente grato a V. Sa. pela gentileza de encaminhar esta declaração ao conhecimento da Federação Sionista.
"Arthur James Balfour."

Declaração de Balfour

Tal declaração foi importantíssima para a criação do Estado Judeu, pois em quase 1.900 anos uma potência mundial se importou com a causa judia. Porém no fim da guerra a Grã-Bretanha tentou anular a declaração o que afetou mais ainda a briga entre judeus e árabes.

Vale também notar a quem foi direcionada a carta, a um Rothschild, os mesmo que financiaram as viagens à terra e a compra de terras dos árabes, comprovando os interesses Iluministas com Israel.

Vamos ver agora como através de uma providência impressionante, na segunda guerra mundial o caminho de Israel foi sendo traçado.

A Segunda Guerra Mundial (1939-1945)

A segunda guerra mundial foi crucial para o estabelecimento do estado judeu, novamente o mundo mergulha em guerra através da Alemanha influenciada por Hitler em querer estabelecer a Grande Alemanha com seus habitantes puros, a raça Ariana. As ideias antissemitas foram disseminadas na Alemanha através do livro Mein Kampf (Minha Luta), de Hitler. O terceiro Reich sempre tentou eliminar os judeus da Europa e principalmente da Alemanha, com decretos e leis que expulsavam judeus de lugares públicos, como escolas, e tiravam a cidadania alemã de qualquer judeu, mas foi quando apresentada a “solução final” que se deu início em 9 de novembro de 1938, na Noite dos Cristais, todas as sinagogas na Alemanha e na Áustria foram destruídas e os judeus foram perseguidos e enviados aos campos de concentração, onde trabalhavam forçadamente e eram exterminados.

O programa de extermínio só foi acabar em maio de 1945, quando os Aliados libertaram o último campo. O Holocausto durou quase sete anos (2.376 dias), de 9/11/1938 a 6/5/1945; o verdadeiro Anticristo também lidará com Israel durante um período exato de sete anos judaicos (2.530 dias).

Na guerra a migração judia à Palestina cresceu muito, por causa da perseguição do governo Nazi, depois da guerra a migração se intensificou mais ainda, e pouco a pouco os judeus voltavam para sua terra.

Deus cumpre a sua Palavra e renasce Israel

Todo o mundo presenciou o horror que o povo judeu sofreu nas mãos dos nazistas, os holofotes do mundo mais uma vez se voltaram para Israel e então o presidente Truman dos EUA, mais do que nunca apoiou o renascimento de Israel. Então a ONU consentiu ao pedido, e em 14 de maio de 1948 renasce Israel! Depois de quase 1.900 anos sem existir e os judeus serem expulsos e mais de 70 nações diferentes, em um só dia Israel renasce cumprindo a profecia de Os 6:2 e Zc 3:9. Um verdadeiro milagre de Deus!

O mundo se volta para Israel. Capa da revista Veja noticiando o nascimento de um Estado Judeu.


Influente jornal dos Estado Unidos, The New York Times, traz na manchete o nascimento de Israel.

Cumprindo o que Jesus disse, a I e II guerra mataram milhares, intensificaram-se as epidemias, como a gripe espanhola, aumentaram também as fomes, os terremotos se acentuaram nas décadas de 30 e 40.

Mas espere, falta algo ainda em Israel. Vamos ver Ezequiel, na visão que o profeta teve em que a pele se juntava com os ossos e nascia um exército, mas, "mas não havia neles espírito", 37:8d. Deus foi fiel em sua Palavra e Israel renasce sem espírito, incrédula e mais rebelde Então essa rebelião será desfeita no Dia da Angústia de Jacó, ao qual Israel voltará ao Messias. Israel não verá o Messias até que diga: Baruch Haba B’shem Adonai.



O nascimento do Anticristo


O nascimento do anticristo se dá pelo aguçamento das dores de parto de Mateus 24, em que as dores e os sinais se tornam mais visíveis e devastadores.

Veremos como os dias de hoje se encaixam nas dores e na maneira em que Deus nos mostra tão claramente os sinais.

Engano Espiritual Jamais Visto

Nunca no mundo se desabrochou tão grande número de seitas e heresias em que até mesmo a Igreja de Cristo fica dominada, enganada, e encantada com tamanho engano. 
Espíritos se mostram ao homem se passando por deus e os levam ao abismo da cegueira espiritual, enquanto que a Igreja se importa em engordar e prezar por seus bens materiais não se edificando e preparando para a Vinda de Cristo.

Engano esse já profetizado por Paulo: Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora o retém até que do meio seja tirado;
E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;
A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, 
E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. 2 Tessalonicenses 2:3  e 7-10

Que engano pior que esse?

Aparição de falsas figuras messiânicas

Nosso século foi e é marcado por pessoas e religiões que se dizem se o Cristo, a salvação, mas que na verdade são doutrinas de demônios.

Guerras e rumores de guerras

No pior e maior grau possível. Guerra na Síria, no Iraque, Estado Islâmico, tensões entre Rússia e EUA, ameaças do Irã a Israel, vívidos ataquem na Faixa de Gaza, no Monte do Templo, guerra na Ucrânia. Tudo isso e muito mais assola o planeta e a vida dos seus habitantes, as armas agora mais evoluídas, ogivas nucleares, ataques químicos e biológico contribuem para sermos a geração mais ameaçada que já pisou a face da Terra.

Guerras foram profetizadas por Jesus. Na foto, ataque à Gaza.

Fomes, pestes e terremotos em vários lugares
·      
    *Quase 800 milhões de pessoas vão dormir com fome todos os dias no mundo e acordam assim, nosso tempo é o que mais tem recursos alimentares e incrivelmente o que mais passa fome, o egoísmo humano é implacável! O continente africano é pisado pela subnutrição e as doenças que ela gera.

*O que dizer da maior epidemia de ebola que devastou a África Ocidental? O que falar do aumento do número de câncer, de Aids, problemas de saúde, superbactérias e novas doenças surgindo mundo afora? Somos doentes, vivemos doentes, a poluição do ar, a intoxicação das águas e alimentos contribui para o aumente de pestes que marcam a humanidade.

*Haiti, Chile, Japão, Nepal, Papua Nova-Guiné, Itália, China, Peru, Paquistão, Irã, índia, EUA são só alguns exemplos de grandes terremotos que abalaram a Terra, sem contar os menores. Terremotos, que algo mais comum nos nossos dias, em que somos constantemente ameaçados com Superterremotos como o da Falha da Cascadia, as Ilhas Canárias. E há previsões que cada vez mais os terremotos se tornem mais frequentes e avassaladores.

Fomes assolam a humanidade. Na foto, criança desnutrida sendo alimentada na África.
O epidemia de Ebola que chocou o mundo. Na foto, agente de saúde de Monróvia, na Libéria, conversa com menino no centro de pacientes suspeitos de contaminação pelo Ebola.

Nunca houve tão grande eventos de terremotos como atualmente. Na foto, soldados caminham pelos escombros de um terremoto.

A Volta de Jesus
Com quão grande expectativa a Igreja Primitiva esperava a Vinda do Senhor, e nós com tão grandes sinais e alertas devemos nos preparam mais ainda para tão brilhante dia! Que essa venha ser a nossa oração: Por Salvação sempre te conhecemos ó Deus, o Teu YESHUA eu espero!
Isaías 63:16 – NTLH pois tu és o nosso Pai.(...) Mas tu, ó Senhor Deus, és o nosso Pai, e desde o princípio nós te chamamos de “O nosso Salvador”.

Que venhamos a descansar no Senhor e em sua Graça e assim como Paulo dizer: Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda, 2 Tm 4:8.


A Cidade dos Céus espera a todos que confiaram em Jesus.
E que a graça de Deus que é nosso por estarmos unidos com Cristo Jesus nos dê força e nos acompanhe até a sua volta, amém!





Nenhum comentário:

Postar um comentário