Postagem em destaque

Novo site no Ar!

sábado, 30 de julho de 2016

Pokémon: Testemunho!

QUE A PAZ DO SENHOR JESUS INUNDE OS VOSSOS CORAÇÕES.


Graça & Paz irmãos, hoje eu venho postar um relato de um dos nossos parceiros do blog. Neste relato ele conta como a vida dele foi mudada primeiramente pelo Desenho/Anime Pokémon e depois como o conselho do Pastor de sua Igreja fez com que ele deixasse de consumir esse tipo de conteúdo.

(Click em Continue Vendo)


MEU RELATO SOBRE A VACINA QUE MUDOU MINHA VIDA

Eu nasci em lar cristão, mas minha adolescência foi recheada de jogos eletrônicos e desenhos animados. Contrariava diariamente minha mãe com jogos violentos e desenhos de mensagens dúbias, ela sempre me repreendia mas eu não ligava.
Em 1999 a Rede Record anunciou a transmissão de um novo desenho animado que cativou meu coração. Numa segunda-feira começou a saga do Pokémon, e eu fui capturado. Não perdia um episódio sequer, saia mais cedo da escola, "matava" aula, pulava o muro da escola pra chegar em casa antes das 11:00 para assistir o "desenho inofensivo".
Por Pokémon eu fazia tudo. Meu dinheiro era todo para Pokémon. Eu trabalhava e gastava todo o meu dinheiro com revistas do Pokémon, meu quarto ficou cheio de pôsteres do Pokémon. No ano 2000 meu irmão Jhonatan Vanda me levou ao Cine Alhambra em Divinópolis, foi a primeira vez que entrei num cinema, adivinha? Fui assistir Pokémon 2000, a luta de Mew conta Mewtwo.
O poder da persuasão desse desenho foi tão grande na minha vida que meu dinheiro não dava para comprar tudo que eu queria, foi quando comecei a pegar dinheiro escondido dos meus pais para alimentar o meu vício em Pokémon. Veja: Eu me tornei num ladrão por causa de Pokémon, eu roubava dos meus pais. Era um adolescente delinquente, sem obediência e levado pelo encanto de Pikachu e Cia.
A casa caiu. Aprouve a Deus intervir nessa história. Minha mãe descobriu meu mal feito, comunicou ao meu pai e ambos me chamaram e conversaram comigo, me questionaram: Porque você pegou dinheiro para comprar revistas Dieison? Porque você fez isso? Nós te ensinamos o Caminho, nós te educamos, porque Dieison Henrique?
Naquela noite fui levado à igreja para um aconselhamento. Na ocasião o responsável pelo trabalho da Igreja Cristã Maranata em Ermida MG era o diácono (hoje pastor) Doracy Corrêa Pugas Corrêa. Eu era um adolescente pecador, criado na igreja mas com o coração perdido.
Naquela salinha, numa reunião de poucos minutos, eu recebi alguns dos mais valiosos conselhos de toda minha vida. O Tutinho, (como o chamávamos) foi usado com tamanha sabedoria que suas palavras penetraram como espada em meu coração coberto de pecado. O Espírito Santo começou a me convencer do pecado, da justiça de do juízo.
Lembro-me de uma das perguntas do Tutinho: "Você trabalha com seu pai e não tem dinheiro para nada né? Algum dia Dieison você já entregou o dízimo"?
Eu mais que depressa disse: "Como vou entregar o dízimo se meu dinheiro não dá pra nada? Não sobra!".
Ele me contou um testemunho de sua filha, ele contou que sua filha entregava o dízimo do pouco que ela ganhava, me contou que não é o que sobra, mas o que ganhava em primeiro lugar.
Desde aquele dia propus em meu coração mudar minha atitude, meu primeiro dízimo foi 1 R$, ganhei R$ 10,00 no mês e devolvi 1R$! rsrs
Sai da condição de ladrão, eu nem sabia que estava nessa condição a tanto tempo. Bastou aquele conselho e uma oração. Fui liberto daquele vício que me prendia e me levava a fazer loucuras. Queimei meus pôsteres do Charizard, do Squirtle, do Pikachu, queimei as revistas da minha coleção e me desliguei, sai da Pokebola!
Nos meses seguintes comecei a preencher meu tempo ouvindo mensagens e assistindo pregações. A primeira pregação que ouvi na minha casa no aparelho de videocassete foi um homem chamado Josue Yrion.
Ele havia pregado na Igreja Batista da Floresta em Belo Horizonte e suas fitas estavam disponíveis numa igreja chamada Igreja Batista do Parque América em Ermida, quem me ofereceu essas mensagens foi meu amigo Felipe Faria, que na época era membro daquela igreja. Eu mal sabia que hoje seria pastor na referida igreja que loquei as fitas que mudaram minha vida.
Josue Yrion pregava contra os jogos da Nintendo e mostrando algo que era novo naquela época: as mensagens subliminares. Ele foi tachado de louco, e ainda é por muitos, até mesmo por muitos cristãos. Como aquelas 4 fitas VHS foram tão importantes na minha vida. O processo de conversão se concluiu na sala da minha casa.
Me converti, nasci de novo realmente somente aos 16 anos ouvindo suas fitas em VHS. Depois de deixar o vício em jogos de videogame, fanatismo por Pokémon. Assistia chorando na sala de casa as únicas 4 fitas VHS em Português daquele pregador, rebobinava a fita e assistia novamente.
Eu chorava e dizia aos soluços nas tardes frias, me assentava na cadeira de madeira, punha meus joelhos próximos ao queixo e cobria as pernas com minhas velhas camisetas.
Passaram-se cerca de 16 anos, e a febre voltou. Agora com mais requinte e ar de realidade. POKÉMON GO é o novo fenômeno do momento. Jovens de todo o mundo são pelas ruas olhando nas telas de seus smartphones em busca dos pequenos monstrinhos.
O mundo virtual enlaçado com o mundo real. Milhões de crianças, jovens e adultos com o cabresto do Pikachu.
Antes que você seja tomado por essa febre, antes que os sintomas apareçam e causem prejuízos danosos quero deixar-lhe um conselho: Vacine!
O mesmo remédio que foi aplicado em mim em meados dos anos 2000 continua disponível: A Palavra!
Louvo a Deus pela vida de cada um de vocês que foram usados para minha imunização! Gostaria de tornar público o que ocorreu na minha vida, para que sirva de testemunho.
Haverá uma campanha de vacinação na Igreja Batista do Parque América em Ermida neste domingo dia 30, às 18h. Leve toda sua família. Uma dose pode salvar a sua vida!
Que Deus te abençoe!
-------------------------------------------------------------
Pr. Dieison Henrique, casado com Vanessa Ribeiro e pai de João Henrique.

Nenhum comentário:

Postar um comentário